Alarmes - Rastreador Veicular - Alerta Segurança Eletrônica

Alarmes - Rastreador Veicular - Alerta Segurança Eletrônica
Antônio Cândido de Camargo,
449 - Limeira/São Paulo
alerta@alertaseg.com.br
Alerta Segurança Eletrônica19 3446.4492
Site
Postado
04 Ago 16

Sistemas de segurança eletrônica: tendências e consumidores

Atualmente, no Brasil, empresas, bancos e indústrias são os principais consumidores de segurança eletrônica.  Diferentemente da Europa, onde 85% das casas têm esses equipamentos, aqui apenas 15% dos lares contam com esse meio de proteção, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança.

Entre as preferências dos brasileiros, a câmera representa 46% das vendas. Somente os estados de São Paulo e Rio de janeiro contam cada um, com um milhão de câmeras funcionando.  Em seguida, aparecem alarmes e controles de acesso, representando 23% cada um.

Segundo Celso de Arruda, professor de engenharia mecânica da Unicamp e especialista em segurança, um procedimento que promete se popularizar em breve no país é o monitoramento de residências à distância, por meio da tela do celular, já que os preços dos equipamentos encontram-se cada vez mais acessíveis, como é o caso da câmera sem fio.

Com maior possibilidade de acesso aliada à facilidade de instalação, cresceu o número de pessoas físicas interessadas em itens de segurança, aumentando em 35% as vendas nos últimos seis meses. O setor como um todo ainda espera crescer 5% até o fim deste ano.

Outro item de sucesso é a fechadura eletrônica, que também mostrou nos últimos seis meses, um aumento de 32% nas vendas, devido à sua praticidade e design.  Além de dar mais modernidade e sofisticação ao imóvel, a fechadura digital também é uma ótima opção para os mais distraídos, que nunca encontram suas chaves. O sistema, que funciona a pilhas ou baterias, oferece as seguintes opções como forma de abertura: digitação de senha, cartão de aproximação ou biometria.

Em contrapartida aos baixos números de residências com sistemas de segurança, a tecnologia tem dado grandes passos rumo à proteção. Biometria facial, biometria por fluxo sanguíneo e outras novidades são tendência no mercado brasileiro. A biometria facial mapeia pontos, traços e medidas do rosto, codificando-os e armazenando-os em cadastro. Já a biometria por fluxo sanguíneo mapeia vasos sanguíneos das mãos com luz infravermelha. Existem ainda opções com reconhecimento da íris e de voz. Porém, a disseminação dessas tecnologias ainda pode demorar, já que um aparelho de biometria facial custa entre R$ 1.500 e R$ 6.000, e o de biometria por veias pode chegar a R$ 10 mil.

Para a proteção de veículos, o equipamento em alta atualmente é o rastreador, colocando o alarme como “coisa do passado”. A aposta é tão grande que especialistas chegam a afirmar que logo os automóveis sairão de fábrica com o equipamento.

É aguardar para conferir.


Topo ^